PIRENÓPOLIS: ARQUITETURA COLONIAL E ECOTURISMO

Pirenópolis foi fundada no século XVIII por mineiros que sonhavam ficar ricos com a exploração do ouro às margens do Rio das Almas, ou seja, é uma das cidades mais antigas dos estado de Goiás. Seu primeiro nome foi ‘Minas de Nossa Senhora do Rosário Meia Ponte’ e, somente no final do século XIX, passou a chamar Pirenópolis.

Fortemente ligada a mineração o pequeno vilarejo transformou-se em um importante centro. Ao final do ciclo do ouro, a cidade manteve sua importância por conta da exploração de algodão para fins de exportação e da produção de açúcar extraído da cana. Durante a construção de Brasília, a extração da pedra “quartzito goiás”, também conhecida como ‘Pedra Pirenópolis’, até hoje é uma importante atividade econômica das região. Além, é claro, do turismo e do ecoturismo, que movimentam a economia local.

O maravilhoso Centro Historico!

Todo o centro histórico de Pirenópolis conserva a bela arquitetura colonial, tombada como patrimônio histórico e cultural pelo IPHAN.

Na Rua Rui Barbosa, o atrativo são as lojinhas. Há muitas jóias em prata e artesanato dos mais variados modelos. Visite o Armazém da Rua (Rua Rui Barbosa, 10, tel: 62 – 3331 1714) para comprar castanhas de baru, um produto típico da região. O baruzeiro é uma árvore do cerrado e a castanha tem um gosto ótimo, que se assemelha um pouco ao amendoim.

Para quem gosta de programas culturais, vale a pena visitar os museus da cidade: Museu do Divino, Museu das Cavalhadas, Museu de Arte Sacra, Museu da Família Pompeu, Museu Lavras do Ouro, Museu Rodas do Tempo.

Conhecer as fazendas históricas da região também é um bom passeio. A Fazenda Babilônia, por exemplo, data de 1800. O casarão dessa fazenda colonial foi construído por escravos e serviu de cenário para filmagens da novela Araguaia da Rede Globo.

Planeje a sua viagem e aproveite tudo o que Pirenópolis tem a oferecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *