Nossos dias em Helsinque – parte 2

Durante a viagem, não tive muito tempo de blogar. Afinal, viajar com gêmeos não é moleza não!!!  Chegamos neste final de semana e acredito que agora terei um pouco mais de tempo de relatar como foi essa nossa aventura.

Adoramos a cidade!
Aos poucos, observamos outras diferenças interessantes:
Praticamente todos os banheiros possuem trocador e vários têm pinico para crianças, de plástico. Legal, né?

Bebidas alcoólicas não são vendidas no supermercado (apenas cervejas e cidras), mas vários têm máquinas caça níqueis, e o pessoal gosta muito de jogar. Depois das 21 horas, as gôndolas ou geladeiras onde ficam as cervejas são trancadas para ninguém comprar. Portanto, se quiser tomar um vinho, tem que comprar numa loja especial, e cedo!
Leite desnatado, semi desnatado e integral tem embalagens com cores definidas (azul claro, azul escuro e vermelho) e os meninos amaram o leite finlandês. Difícil se acostumar com o brasileiro de novo….
Os preços dos tickets para transporte público que servem para  o dia todo caem. Para um dia custa 8 euros, para 2, o preço é 12 euros. Portanto, vale a pena comprar mais de um dia de uma vez.
Muito legal a utilização de tecnologia de informação. Nos pontos, podemos acompanhar online onde os bondes estão e a previsão de chegada.
Assim como na Alemanha, as garrafinhas e latas possuem refund, ou seja, você as leva para o supermercado, insere numa máquina que calcula quantos centavos é o reembolso de cada item e emite um tíquete final para recebermos o dinheiro no caixa. Portanto, não joguem as latinhas ou garrafinhas fora como fazemos por aqui!
Já relatei que utilizamos frequentemente Lavanderias self service, mas existem poucas em Helsinque.

O hotel nos indicou a easy wash, bem localizada e fácil de chegar de ônibus ou bonde.  Easy Wash itsepalvelupesula (laundry mat), que fica na  Kalevankatu 45
Helsinki. É mais cara do que em outros locais (cerca de 11 euros para lavar, secar e sabão), mas bem melhor do que viajar com muita coisa.

No nosso segundo dia, 29/09, muita coisa estava deixando de funcionar por causa do final do verão. Fomos ao Zoológico, que fica numa ilha (http://www.korkeasaari.fi/en/services/visitorinformation). Dá para ir de ônibus tranquilo ou de barco. O espaço é enooorme e o zoo tem animais de todos os continentes. Os meninos adoraram. Nunca tinham visto um urso ou um pinguim antes (nem meu marido!). Dá para passar um dia inteiro passeando por lá. Há playgrounds e cafés. Aliás, playgrounds existem por toda parte em Helsinque. O zoológico é muito bem sinalizado e está disponível um mapa para compra por 1 euro.

Portanto, nosso terceiro dia foi de lavagem de roupa suja (literalmente), passeios nas ruas a pé e na Stockman, uma loja de departamento bem grande. No andar de crianças, há uma lanchonete com um parquinho legal (assim os pais podem comer) e um local para deixar os filhos por até uma hora enquanto os pais fazem compra. Mas eles só aceitam crianças que falam inglês.

No nosso quarto dia fomos caminhando até o Linnanmaki, um parque de diversões. Contudo, durante o outono só abre aos sábados e não conseguimos ir lá. Fomos ao Sea Life, que possui diversas espécies de peixes, tubarões, arraias. Os meninos adoraram, principalmente porque viram uns peixes iguais ao Nemo.

 

No quinto dia, como estava chovendo muito, o pessoal lá do hotel nos indicou Snadi stadi (http://www.snadistadi.fi/Etusivu). Um parque coberto muito grande, que fica no subsolo de um shopping center. Por 8 euros, as crianças ficam o quanto aguentarem nos brinquedos diversos. Uma super estrutura e muito bom para dias assim, chuvosos. Infelizmente, na hora de irmos embora, Miguel caiu dentro de um pula pula junto com o pai e ficou 5 dias sem mexer a perna e andar. Foi um mega perrengue.  Quanto me dei conta, vi que a agencia tinha entregue duas vezes a impressão do seguro de Fernando e eu não tinha o número de Miguel. Tive que ligar as 4 da manhã para o Brasil, acordar minha amiga que emitiu para o levarmos ao hospital.

O médico fez raio x mas nos encaminhou para o hospital universitário de Helsinque, tem possui ortopedia infantil. De antemão, ele me pediu desculpas pela espera que enfrentaríamos no hospital público. Tadinho, nunca deve nem ter imaginado o que é um hospital da restauração aqui do Recife!!! O hospital pediátrico era todo cheio de áreas de brincar e brinquedos (inclusive legos), máquinas de vender comida e bebidas e super limpo. As crianças são atendidas individualmente dentro de um quarto, que é imediatamente todo higienizado uma vez que elas vão embora. Obviamente, o serviço é demorado e passamos o dia inteirinho nos dois atendimentos (das 12 as 21 horas). Depois de muitos raios x e exames clínicos, nos mandaram para casa para esperar mais um pouco. Pensamos em cancelar a viagem. Mas, por recomendação medica, nos pediram para esperar alguns dias para ver se ele voltava ao normal.

Foi um sufoco!! Mas ainda bem que ele está bem melhor agora!

Pelo que percebemos, a cidade fica completamente diferente no inverno, verão e agora, no outono. Confesso que fiquei com muita vontade de voltar nas duas outras estações. Fiquei apaixonada pela Finlândia.

No próximo post relato a nossa visita ao forte de Suomenlinna e outras aventuras por lá! Aguardem!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *